Notícias

Categorias

Notícias » Geral » “A Picadinha” regressa no Sábado em Fundo de Vila

A Picadinha” está de volta dois anos depois, no próximo Sábado, da parte da manhã, na Biblioteca de Fundo de Vila.

Trata-se de uma iniciativa de proximidade, retomada pela Junta de Freguesia de S. João da Madeira que pretende, de forma gratuita, ajudar a população residente nos bairros sociais no controlo da tensão arterial, glicémicos, colesterol e terá, também, palestras de sensibilização para uma melhor alimentação.

A Picadinha” não é um projeto novo, já existiu no passado e, dois ano depois, vai ser retomada porque “as pessoas pediram o regresso deste serviço”, refere a presidente da Junta de Freguesia, Helena Couto.

É uma iniciativa que vai funcionar quinzenalmente, nas manhãs de Sábado, para controlo de indicadores de saúde da população e prevê passar por bairros de S. João da Madeira: Fundo de Vila, Orreiro, Mourisca e Parrinho. Se se justificar será alargada a outros pontos da cidade.

Trata-se de um projeto de sensibilização da população para práticas de vida saudáveis e pretende contribuir para identificar patologias desconhecidas.

Esta prática permite-nos estar junto da população numa área, a da saúde, que é bastante importante para a qualidade de vida das pessoas”, conclui Helena Couto, sobre este serviço que não tem qualquer custo para os cidadãos e é aberto a qualquer idade. “Vai estar disponível para todos os sanjoanenses e para todas as idades de forma gratuita”.

Este rastreio pode permitir o encaminhamento das patologias detetadas para o centro de saúde e respectivo médico de família, sempre que se justifique. “É, acima de tudo, uma iniciativa de prevenção”, informa a presidente.

Para o funcionamento desta iniciativa, a Junta de Freguesia de S. João da Madeira articula diversos recursos da cidade, tais como, “todas as farmácias, que nos apoiam nos equipamentos e em determinados descontos de material necessário. A CERCI que vai ceder instalações. E a Escola João da Silva Correia, que vai enviar estagiários do Curso de Saúde. Sem esquecer, a larga equipa de voluntários que integram o grupo de trabalho: enfermeiros, analistas, assistentes sociais e nutricionistas.

A população idosa e com problemas de locomoção é quem mais pode beneficiar com “A Picadinha”, pois pode efetuar rastreios de saúde mesmo à porta de casa.